Família morreu por asfixia ao usar churrasqueira dentro de casa para se aquecer

Família morreu por asfixia ao usar churrasqueira dentro de casa para se aquecer
Reprodução Record TV

Nesta quarta-feira (10), uma família foi encontrada morta em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo, após utilizar uma churrasqueira com carvão como meio de aquecimento para uma noite fria. De acordo com a Polícia Militar, é provável que a família tenha morrido asfixiada devido à falta de oxigênio no ambiente por conta da fumaça.

“Churrasqueira não foi feita para ficar dentro de casa e aquecer. Churrasqueira foi feita para queimar carne. Utilizá-la dentro de casa é extremamente perigoso. Além do risco de incêndio, acender a churrasqueira em ambiente fechado pode matar”, afirma o pneumologista Elie Fiss, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Leia também: Por que algumas pessoas sentem mais frio? Hormônio pode ser razão

Fiss afirma que o fogo utiliza o ar como combustível e, ao acender a churrasqueira em um ambiente fechado, ele consome todo o oxigênio e libera monóxido de carbono. O monóxido de carbono então, ao entrar no corpo pelo ar, se fixa nas hemáceas, células do sangue responsáveis pela oxigenação e, mesmo que ainda tenha algum oxigênio no local, ele não consegue se ligar às células, ocasionando a asfixia.

O pneumologista Silvio Cardenuto, do Hospital Santa Isabel, em São Paulo, afirma que, diferentemente da churrasqueira, a lareira, quando bem construída e utilizada adequadamente, não apresenta problemas, pois não consome o ar do ambiente e não libera o monóxido de carbono no local. “A chaminé serve exatamente para isso. Ela consome o ar de fora e despeja o monóxido da fumaça para o ambiente externo, não intoxicando quem está dentro da casa”, explica.

Saiba mais: Frio aumenta em 30% chances de internação por problemas cardíacos

O uso de aquecedores também não apresenta problemas, pois, nesse caso, o ar não é utilizado como combustível para o aquecimento, mas a energia elétrica. Cobertores elétricos também utilizam esse tipo de calor, mas apresentam outro risco. “Esses cobertores, se colocados direto em contato com a pele, podem ocasionar queimaduras. Há também o risco de curtos-circuitos, que podem causar um incêndio”, diz Cardenuto.

Para se manter aquecido, Fiss orienta que não se utilize métodos que usem o ar como combustível e que nunca coloquem uma churrasqueira dentro de casa.

Veja também: Entenda por que o frio aumenta os riscos de AVC

Entre as alternativas que ambos os pneumologistas indicam para se manter aquecido estão o uso de cobertas e moletons, pois mantêm o calor do corpo, passar a roupa ou o lençol e usá-los em seguida ou utilizar métodos que gerem calor pelo vapor da água, como um banho quente, ou pela eletricidade, como aquecedor.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Dores podem ‘prever’ mudança de tempo e piorar com o frio:

 

Mais Detalhes