Não é de hoje que as chamadas píton birmanesas estão cada vez mais fora de controle. Sem predadores, elas encaram crocodilos e os devoram com alguma frequência. Ironicamente, os únicos grandes predadores dela são os próprios crocodilos, mas tudo depende se esse será um dia da caça ou do caçador

Martin Muller estava andando de caiaque em uma região não especificada da Austrália no dia 1º, quando viu essa cena: uma píton almoçando tranquilamente um grande jacará

Com uma câmera na mão, ele não pensou duas vezes e registrou a cena e enviou a imagem para o serviço GG Wildlife Rescue Inc, especializado em resgate de animais. Após o almoço que supera qualquer participação sua em um rodízio, ela precisará de um bom momento de descanso

Do outro lado do mundo, essas cobras também estão dando trabalho. No parque Everglades, na Flórida (EUA), elas podem se tornar “o pior predador das Américas”, segundo especialistas

LEIA ISSO: Tenebroso! Turista quase perde a mão após fazer tatuagem de henna

A cobra píton birmanesa, uma espécie invasora de serpente no local, cruzou com pítons indianas e o resultado é uma espécie híbrida. Essa cobra mutante consegue se adaptar ainda mais à locais diferentes

A píton birmanesa já considerada uma espécie invasora e perigosa nos Everglades faz tempo

NÃO PERCA: ‘Urso delinquente’ invade carro, aciona a marcha e bate em árvore

Além de ser gigantesca (pode chegar a 6 metros e 100 kg), ela não tem predadores no Everglades, um dos parques naturais mais importantes dos Estados Unidos

Ela briga até com os maiores predadores da região: os grandes jacarés

LEIA ISSO: Monstro do Lago Ness na China? Registro intriga internautas

Segundo especialistas, em uma briga entre pítons e jacarés, não existem regras: sempre depende de quão experiente, grande e pesado cada animal é

O que era um problema pode ficar ainda pior: pesquisadores encontraram exemplares com DNA mestiço entre as espécies birmanesas e indianas

Isso as torna ainda mais perigosas, pela facilidade de adaptação a ambientes ser aumentada

VEJA TAMBÉM: Invasão de insetos causa acidentes e aterroriza moradores de cidade

Tudo porque as pítons birmanesas preferem viver em pântanos e as indianas costumam caçar em locais secos

O medo das autoridades é que elas devorem espécies nativas e desequilibre o ambiente

Existe também a possibilidade delas se espalharem por outros estados e até em ambientes urbanos

NÃO PERCA: Menino de dois anos para de fumar, mas pode ser tarde demais

Em seu ambiente natural (no Sudeste Asiático) ela já possui poucos predadores e normalmente só são devoradas por crocodilos muito grandes

Mas no Everglades os jacarés e crocodilos não são grandes o bastante para sempre fazer frente às pítons. Das 400 cobras capturadas nos últimos tempos por autoridades ecológicas locais, 13 tinham traços genéticos das pítons indianas

NÃO VÁ EMBORA AINDA: Homem tem primeiro encontro com médica e é salvo após ter infarto

Mais Detalhes