‘Donald’ e a pequena Maitê criaram sintonia que impressiona família. Ideia era que ele ficasse apenas uma semana na casa, mas adaptação foi tão boa que pato foi adotado. Menina Maitê adota pato como animal de estimação em Bagé
Uma família de Bagé, na Região da Campanha, resolveu adotar um pato como bicho de estimação. A ave virou xodó do casal e, principalmente, da filha de 2 anos. A sintonia entre a pequena Maitê e o Donald, nome que o pet ganhou, é tão grande, que fizeram até um ensaio fotográfico juntos.
O pai de Maitê, Felipe Franchi, se impressionou com a capacidade do pato em se adaptar à rotina da casa.
“Tem essa novidade aqui, que é o pato, surpreendentemente domesticado, eu nem sabia que era assim tão fácil de se acostumar com pessoas”, diz Felipe.
Maitê e o pato de estimação Donald
Arquivo pessoal
“Eu sempre tive medo de ave, sempre tive muito medo, mas quando ele veio para cá tinha 10 dias de vida e só tinha uma penugenzinha. Aí eu tinha medo da Maitê machucar ele, mas apesar dos avanços dela, ele sempre foi muito carinhoso com ela”, conta a mãe da menina, Etiele Franchi.
Quando o pato Donald chegou, a ideia era que ele ficasse apenas uma semana e depois fosse para um lugar mais parecido com o habitat natural dele, mas a amizade entre o pato e a pequena se tornou tão forte que hoje, três meses depois, ele já é parte da família.
“As vezes tu acorda e ele está em cima do sofá. Ele é bem autossuficiente, ele pede comida, ele pede água, ele fica batendo o bico no pote da ração. Uma coisa que era para uma semana, já está durando três meses e agora vai até o fim com o Donald”.
Uma amizade contagiante e praticamente sem hora para brincadeira acabar. “Ele faz carinho com bico”, conta Felipe.
Maitê e o pato no ensaio fotográfico
Arquivo pessoal
Maitê e o pato de estimação Donald no ensaio fotográfico
Arquivo pessoal
Felipe, Etiele e Maitê com o pato Donald
Arquivo pessoal

Mais detalhes