Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado. O relator da Previdência nega texto alternativo, mas admite alterar a proposta do governo. Bolsonaro diz que se o Congresso tem projeto melhor, que coloque em votação. Sem base de apoio consolidada, 10 medidas do governo podem perder validade se não forem votadas logo. Em compasso de espera, dólar fecha estável após intervenção do BC. Tensão em MG: o paredão de uma mina da Vale pode ceder a qualquer momento. SP dará bolsa de trabalho a usuários de drogas na Cracolândia. O Google rompe com a gigante chinesa Huawei após decreto de Trump.
‘Ruídos’ na Previdência
O presidente Jair Bolsonaro gesticula durante um evento com empresários no Rio de Janeiro
Ricardo Moraes/Reuters
O governo classificou as informações sobre a existência de um texto alternativo para reforma da Previdência como um ‘ruído de comunicação’. O secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, e o relator do projeto na Câmara, deputado Samuel Moreira, negaram que um outro projeto pode ser apresentado.
Moreira afirmou, entretanto, que ainda não há alterações definidas na proposta apresentada pelo Planalto em março, mas disse que o governo federal ‘está aberto a aceitar mudanças no projeto’.
No Rio, o presidente Bolsonaro disse que, se o Congresso tiver uma proposta melhor do que a do governo para a reforma da Previdência, deve votá-la, mas definiu as mudanças como imprescindíveis. “Querem agilidade para votar as propostas que estão dentro da Câmara e do Senado. E, se Câmara e Senado têm propostas melhores que a nossa, que coloquem em votação”, declarou.
Bolsonaro chama empresários de heróis e promete não atrapalhar
Dólar nas alturas
Com os investidores de olho na articulação política para a aprovação da reforma da Previdência, o dólar continua nas alturas. Mesmo com atuação do Banco Central para tentar conter a alta, a moeda americana bateu os R$ 4,12 durante o dia e encerrou com leve alta, cotada a R$ 4,10.
BLOG DO JOÃO BORGES: Na economia, tudo parado e esperando
Bovespa sobe e volta aos 91 mil pontos
Mercado reduz pela 12ª semana projeção para alta do PIB
Prazo apertado
Sem base de apoio consolidada, o governo tem dificuldades para fazer pautas avançarem no Congresso, e 10 medidas provisórias podem caducar se não forem votadas logo. A mais urgente é a MP que permite 100% de capital estrangeiro nas companhias aéreas, que precisa ser aprovada até quarta-feira. Outra é a medida que reduziu de 29 para 22 o nº de ministérios. VEJA LISTA
Regras mais flexíveis
Anac pede revisão de decreto sobre porte de arma em voos
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) pediu que governo reveja o decreto das armas, depois que a medida retirou do órgão a definição das regras para porte de armas em voos. Para o presidente da Anac, José Ricardo Botelho, a norma regulamentada pela agência segue um padrão mundial. “”Entrar armado (nos vôos) tem que ser a exceção. (…) A nossa norma foi feita de acordo com os padrões americanos, padrão muito bem visto pelo órgão da aviação civil mundial”, disse à GloboNews.
Tensão em MG
Talude de mina em Barão de Cocais (MG) pode se romper ainda nesta semana
O governo de MG confirmou que o paredão de uma mina da Vale, em Barão de Cocais, vai desabar. O talude, que está a menos de 2 km de uma barragem, deve desabar ainda nesta semana, segundo estudos, e pode causar o rompimento da barragem Sul Superior.
Vale suspende transporte em ferrovia que passa por área de risco
Cracolândia
Multidão de dependentes químicos que migraram da Cracolândia se concentram na Praça Princesa Isabel
Celso Tavares/G1
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, lançou a segunda fase do Programa Redenção, que prevê 300 bolsas de trabalho de R$ 698 a usuários de drogas na Cracolândia. Os inscritos receberão capacitação profissional e deverão cumprir uma carga de 4 horas diárias e 20 horas semanais. Covas diz que programa difere do criado pela gestão Fernando Haddad, porque dinheiro será dado apenas para quem já estiver na fase final do tratamento.
Guerra comercial
Google restringe acesso da Huawei ao sistema Android
A guerra comercial entre EUA e China fez o Google cortar os laços com a gigante chinesa Huawei. A medida foi anunciada após Trump assinar um decreto proibindo que grupos americanos façam negócios com empresas estrangeiras do setor de telecomunicações consideradas perigosas para a segurança nacional.
Após o anúncio, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos garantiu uma licença temporária — válida até agosto — para que a Huawei possa fazer a atualização dos aparelhos que usam o sistema operacional Android, do Google.
Alerta em Paris
Um alpinista integrante de uma equipe de resgate, de vermelho, desce pela estrutura da Torre Eiffel, em Paris, para resgatar um homem que escalou a torre e está entre duas colunas de ferro. O local foi fechado para visitantes por causa do incidente
Michel Euler/AP
A Torre Eiffel, em Paris, foi esvaziada após um homem ter sido visto escalando a estrutura. Ele foi tirado pelos bombeiros após seis horas de operação de resgate. Ainda não se sabe por que o homem escalou e ficou tanto tempo agarrado, sem proteção, à estrutura metálica. O local será reaberto amanhã.
Também teve isso…
Maduro desafia a oposição e propõe antecipar eleição legislativa
Ford anuncia demissão de 7 mil funcionários no mundo
Justiça italiana autoriza desembarque de imigrantes e contraria premiê
Presidente toma posse na Ucrânia e dissolve parlamento
SP possui 289 obras inacabadas; contratos somam R$ 16 bi, diz TCM
É #FAKE que foto mostra alunos nus em manifestação em universidade
‘Game of Thrones’: final mediano para uma série que deixou de ser grandiosa

Mais detalhes