Greve começou nesta quinta-feira (16) e todas as escolas tiveram as aulas suspensas. Decisão foi do Conselho de Diretores.
Alegando falta de estrutura, diretores fazem greve e aulas da rede pública são suspensas no interior do Acre
Mazinho Rogério/G1
Todas as escolas da rede estadual de ensino de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, suspenderam as aulas, nesta quinta-feira (16), sem previsão para retomar as atividades. A paralisação foi uma decisão do Conselho dos Diretores, que alega falta de condições para manter as ações das unidades de ensino.
Os gestores decidiram fazer greve por tempo indeterminado em uma reunião, na última terça-feira (14). Nesta quarta-feira (15) o conselho publicou um documento apontando os motivos do movimento grevista.
Entre as justificativas estão a demissão das merendeiras das unidades sem justa causa para substituir por outras sem experiência, o atraso no pagamento dos servidores terceirizados e falta de material de consumo.
“São situações que estão se arrastando desde o início do ano letivo e prejudicam o trabalho dos servidores e o andamento das atividades nas escolas e precisam ser resolvidas pela Secretaria Estadual de Educação”, disse o presidente do Conselho dos Diretores, Pedro Moreira.
Os gestores afirmam que só devem encerrar a greve após os problemas serem solucionados. A coordenadora do Núcleo da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), Rute Bernardino, disse que o governo está preocupado com os problemas, mas alegou que a secretaria foi surpreendida com o início da greve.
A coordenadora garantiu que o pagamento dos servidores terceirizados está sendo providenciado e que a substituição das merendeiras é de responsabilidade de uma empresa prestadora de serviço. Ela nega que não esteja sendo fornecido material de limpeza para as unidades de ensino.
“Nós estamos sempre à disposição dos diretores para resolver essas questões, como a gente sempre esteve. Já fizemos duas reuniões anteriormente para informar de todas as decisões que estão sendo tomadas. É bom informar que a empresa já se encontra no município e já está substituindo todas as pessoas que foram demitidas e já está entregando material nas escolas”, garante a representante da SEE.

Mais detalhes