Recém-nascida foi resgatada pela polícia e levada a um abrigo. Mulher, que já tem outros três filhos, disse que não tinha condições de criar o bebê Bebê foi doado a casal pela mãe, que se arrependeu, em Goiânia
Polícia Civil/Divulgação
Uma jovem de 27 anos procurou a Polícia Civil após ter dado sua filha recém-nascida a um casal e, ao se arrepender, não conseguir recuperar a criança, em Goiânia. Os policiais foram até a casa dos supostos pais e resgataram a criança, que foi entregue para o Conselho Tutelar e levada a um abrigo. O homem que registrou a menina como sendo sua filha vai responder criminalmente.
A mulher, que já tem outros três filhos, deu à luz em 9 de maio. No dia seguinte, ela foi liberada do hospital e entregou a criança ao casal. Já na última terça-feira (14), arrependida, ela foi até a casa do casal para tentar pegar a recém-nascida de volta, mas eles não quiseram entregar. A mãe biológica, então, procurou a polícia.
Os policiais foram até a casa nesta quinta-feira (16) para buscar a criança, já que o processo de adoção foi irregular. “A mãe biológica registrou a menina junto com o falso pai, que ficou com a criança. Isso é conhecido como adoção à brasileira, mas é um crime. Inicialmente, a mãe biológica não vai responder por nenhum crime porque ela não recebeu nenhum benefício, entregou a criança por não ter condições de cuidar”, disse a delegada Ana Elisa Gomes.
Já o falso pai vai responder por registrar filho de outra pessoa como sendo dele. A pena varia de 2 a 6 anos de prisão. “A mulher que adotou essa criança junto com o marido disse que perdeu o útero e sempre quis ter filhos. Pensou em adotar, mas achou que conseguiria ficar com a criança desse jeito irregular”, completou a delegada.
De acordo com a delegada, a criança estava sendo bem cuidada, apesar da situação ilegal. A recém-nascida está em um abrigo até que a Justiça decida com quem deve ficar o recém-nascido.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

Mais detalhes