Trabalho começou nesta quarta (15) e segue até sexta (17). Ação é realizada em parceria pela Administração da Ilha e pela Companhia Estadual de Habitação e Obras. Diagnóstico social da ilha começou pelo bairro dos Três Paus
Cândida Jucá/Divulgação
O governo estadual deu início, nesta quarta-feira (15), ao trabalho de coleta de dados para elaborar o diagnóstico social de Fernando de Noronha. A ação é desenvolvida por uma equipe formada por profissionais da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab) e Administração da Ilha.
Os técnicos da Cehab aplicam questionários com os moradores para obter as informações necessárias. A ideia é que, a partir desses dados, sejam elaborados projetos de acessibilidade, urbanização, esgotamento sanitário e iluminação para as casas que serão construídas em Noronha.
Residências da ilha são visitadas para elaboração de diagnóstico social
Cândida Jucá/Divulgação
Os profissionais do governo e a conselheira distrital, Ana Paula Silva, participam das atividades, além de dez servidoras da Cehab para o trabalho na ilha.
“Além de assistentes sociais, o grupo conta com sociólogas, psicólogas, arquitetas e técnicas especializadas. A prioridade é trabalhar as áreas mais carentes”, afirma a superintendente de Ação Social da Administração da Ilha, Cândida Jucá.
As visitas começaram pelo bairro dos Três Paus e seguem até sexta-feira (17). “Vamos fazer o diagnóstico com a situação das famílias, detalhando as questões sociais, econômicas, e a situação de saneamento, educação e saúde”, declara a gestora de Projetos Sociais da Cehab, Raquel Deiga.
Equipe realiza a primeira etapa do trabalho até sexta-feira (17)
Cândida Jucá/Divulgação
A ação é mais uma etapa da Política Habitacional do Distrito. “É um trabalho de extrema importância, pois, a partir dele, vamos ter um cenário social mais absoluto da ilha. Esse estudo também vai possibilitar o bom proveito dos novos lotes de terrenos a serem entregues para a população”, afirma o administrador de Noronha, Guilherme Rocha.
Segundo o presidente da Cehab, Bruno Lisboa, com essas informações é possível melhorar o desenvolvimento da política habitacional da ilha. “Teremos subsídios para programas e projetos de diversas áreas. Sem dúvidas, teremos um instrumento muito importante de planejamento para Fernando de Noronha”, diz.

Mais detalhes